A coordenadora de Atenção Básica da Secretaria Municipal de Saúde de Barras, enfermeira Gorete Lages, participou da Live sala de Vistas do longah.com, em parceria com os sites Valoriza Piauí e Ibarrasnotícias.

Ela falou sobre o modo como a administração municipal está enfrentando a pandemia. Citou a dificuldade em comprar insumos, material e medicamentos. “Tivemos que comprar TNT para fazer avental para os profissionais de saúde. Os preços aumentaram bastante e um medicamento que era adquirido a R$ 5,00 passou a ser cobrado R$ 45,00”, disse.

MEDICAMENTOS – Quando questionada sobre a reclamação da falta de medicamentos, ela garantiu que a partir de segunda-feira os pacientes já vão encontrar remédios nos postos de saúde. “Os medicamentos já estão em Barras e o pessoal do almoxarifado está fazendo a conferência para distribuir aos postos de saúde”.

O longah fez matérias mostrando a reclamação dos pacientes sem medicamentos e da repercussão que os vereadores deram à pauta na Câmara Municipal de Barras.

Live Sala de Visitas

MONITORAMENTO – Sobre a metodologia que a Saúde usa para chegar ao número de curados, a entrevistada explicou que o monitoramento é feito através de ligações para os pacientes, que a prefeitura de Barras não faz retestagem. O número de testes que já foram feitos é a soma dos casos descartados com os casos positivos.

O fato de não testar novamente os descartados pode causar subnotificação, já que existem falsos negativos quando a pessoa é testada dentro da janela imunológica.

ZONA RURAL – Gorete Lages explicou que a secretaria não faz testes na zona rural. “O paciente tem que ir á sede, na zona urbana e o teste para o dia seguinte”, explicou.

A grande extensão do território da zona rural e a distância para sede é um ponto que deve ser analisado. esse detalhe pode estar propiciando uma subnotificação dos pacientes, que tem mais dificuldades de se dirigir à cidade , principalmente sentindo os sintomas.

NOVO POSTO – A coordenadora aproveitou o espaço para comunicar a população que o posto de atendimento a pacientes de Covid-19 sairá do local que estava funcionado na sede do Capes e irá funcionar em um prédio na Praça Monsenhor Boson.

“A partir de segunda-feira, o atendimento já será no novo local. É um local melhor que na sede do Capes, o paciente pode ficar nos bancos da praça.

FISCALIZAÇÃO DE ÔNIBUS – Sobre os muitos barrense que voltaram para casa durante a pandemia vindos do sul e sudeste do país, a coordenadora disse que estavam sendo monitorados, mas que tinha que fazer isso discretamente, sem EPIs porque os motoristas dos ônibus temiam as equipes. “Às vezes ficavam lá no Cantinho esperando os ônibus”, justificou.