O prefeito Firmino Filho, em entrevista coletiva concedida à imprensa, na tarde desta segunda-feira (29), apresentou o plano de retomada gradual das atividades econômicas em Teresina, que estão suspensas desde março, por conta da pandemia do novo coronavírus (covid-19). Os primeiros setores vão reabrir a partir da próxima segunda-feira, 06 de julho.

O plano apresenta a reabertura em três fases, atualizadas a cada 14 dias. Se tudo sair como o previsto, as atividades serão retomadas totalmente no dia 17 de agosto.

Firmino ressaltou que a Prefeitura tem feito um esforço para garantir a reabertura, se adequando a situação epidemiológica da capital. “Estamos em um momento bastante crítico, então, qual a alternativa? A alternativa é ao mesmo tempo endurecer esse enfrentamento e iniciar a abertura gradual desses setores econômicos”, declarou.

O professor Washington Bonfim, que integra o Comitê Gestor de Medidas para enfrentamento ao novo coronavírus, explicou que o plano apresentado levou em consideração dois fatores: a segurança e o impacto e relevância de cada atividade na economia.

“Essa proposta levou em consideração um trabalho que foi feito pela Secretaria de Planejamento de Teresina, mais três professores em torno desse índice de distanciamento social controlado. Foi pensada a segurança do trabalhador e do cliente e o impacto da atividade econômica sobre a economia de maneira geral”, informou Washington Bonfim.

De acordo com o chefe do executivo municipal, a partir do dia 06 de julho poderão funcionar, com restrição rigorosa, vestuário e acessórios, construção de edifícios, serviços especializados para construção, móveis, materiais elétricos, dentre outros.

Já o comércio de veículos e motocicletas e o comércio de peças e acessórios novos para veículos e motocicletas somente poderão funcionar a partir do dia 13 de julho.

Categorias C e D

Os setores liberados para funcionar no dia 6 de julho estão inseridos na categoria de “Restrição C – Rigorosa”, ou seja, somente poderão funcionar com 50% dos funcionários, 4 dias por semana, 6 horas por dia e ocupação máxima do espaço de atendimento ao público de 1 pessoa por 4m².

Os comércios varejista e atacadista de materiais de construção estão incluídos na categoria de “Restrição D – Delivery/Drive-Thru”, e poderão abrir no dia 6 de julho com 50% do quadro de funcionários, mas com funcionamento apenas com entregas a domicilio ou busca na porta/ calçada/estacionamento do estabelecimento. Já a partir do dia 13 de julho eles poderão funcionar na categoria C – Rigorosa.

Condições para a reabertura

  • Foto: Lucas Dias/GP1Washington BonfimWashington Bonfim

Washington Bonfim enfatizou as condições necessárias para a reabertura desses setores. “Existem pré-condições para essa abertura, a primeira delas é o Decreto 19.854, de testagem [dos funcionários], que foi republicado na semana passada pela Prefeitura, todas as empresas que vão reabrir precisam atender esse decreto. Também [as empresas] devem apresentar um plano de segurança, todas as medidas que forem tomadas pelo proprietário do estabelecimento devem ser públicas para os seus trabalhadores”, citou Bonfim.

Lockdown

Em relação as medidas de isolamento mais rígidas que devem ser adotadas nesta semana, Washington Bomfim explicou que o decreto com todas as normas será publicado nesta terça-feira (30). “Tivemos uma experiência bem sucedida nesse final de semana, estamos avaliando esses três primeiros dias da semana passada para publicar o decreto amanhã”, colocou.

Possibilidade de acelerar a reabertura

Questionado sobre uma possível uma aceleração nesse plano de retomada, que significaria a reabertura de alguns setores antes do previsto, Washington Bonfim explicou que não há essa possibilidade. “Não há possibilidade de acelerar, porque tem uma dinâmica de 14 dias para ser respeitada”, justificou.

Retomada segura

Por fim, o prefeito pediu o esforço da população, para que a reabertura das atividades econômicas na capital se concretize conforme o previsto nesse plano de retomada.

“Vamos descer com muita segurança, como se estivemos descendo a Serra da Ibiapaba [no Ceará], para que a gente possa retomar as atividades econômicas de forma segura, gradual, sem excessos, com muito cuidado, muita atenção”, concluiu.

Confira abaixo os setores que poderão abrir a partir do dia 6 de julho:

Agricultura, Pecuária, Produção Florestal, Pesca e Agricultura

Produção florestal

Indústria de transformação

Vestuário e acessórios;

impressão e reprodução;

minerais não metálicos e produtos de metal.

Construção

Construção de edifícios;

obras de infraestrutura não estabelecidas no decreto nº 19.548/20 e serviços especializados para construção.

Indústria Extrativa

Extração de minerais não-metálicos;

Indústria de Transformação

Madeira;

borracha e plásticos e

metalurgia.

fabricação de produtos de metal, exceto máquinas e equipamentos;

materiais elétricos e móveis.

Atividades profissionais, científicas e técnicas

Serviços de arquitetura e engenharia, testes e análises técnicas;

atividades jurídicas, de contabilidade e auditoria;

Comércio de materiais de construção

Comércio varejista de materias de construção;

comércio atacadista de materias de construção

Confira abaixo os setores que poderão abrir a partir do dia 13 de julho

Comércio de veículos e motocicletas;

comércio de peças e acessórios novos para veículos e motocicletas

  • Foto: Divulgação/Ascom PMTLista de setores que vão reabrir Lista de setores que vão reabrir