A segunda-feira (17) será um dia crucial para a carreira política do ex-prefeito Chico Marques. As contas da sua administração referentes aos anos de  2010, 2011 e 2012 serão apresentadas para votação na Câmara Municipal de Barras.

O Tribunal de Contas do Estado emite parecer, mas é o parlamento do município que dá o verdito através de votação secreta.

No mês passado, as contas do ex-prefeito Manim Rego referentes ao exercício 2009 e também os meses de Janeiro e Fevereiro de 2010 foram aprovadas por unanimidade. O TCE havia dado parecer de aprovação com ressalva para as contas e, para serem aprovadas, o ex-gestor necessitava apenas de 5 votos.

A situação do ex-prefeito Chico Marques é diferente. Dos três anos que serão votados, duas contas foram aprovadas. Para estas,  Marques precisa dos 5 votos. Contudo, a contabilidade de um dos anos foi reprovada pelo tribunal de contas. Isso significa que, para se livrar da inelegibilidade, ele necessitará de 9 votos dos 13 vereadores do município. É assim que prevê o regimento interno da casa legislativa barrense.

Seguindo o mesmo percurso que Manim Rego fez, Chico Marques está visitando os vereadores para solicitar o voto favorável. Por ser uma pessoa de bom trato, por ter sido um bom gestor e pelo fato do filho vereador Vinício Marques estar dentro do plenário e ter facilidade de conversar com os seus pares, é possível que ele consiga ter os 9 votos.

Contudo informações que chegam ao longah.com dão conta de traição (se é que se pode chamar assim) dentro do próprio grupo de oposição ao qual Vinício faz parte.