O corpo de Raimundo Nonato Carvalho de Souza, o Raimundo Doca, encontrada morto em seu apartamento em São Paulo vítima de um infarto fulminante, não chegará mais nesta terça-feira (6).

O adiamento foi motivado por um problema com a companhia aérea e a vinda do corpo para o Piauí teve de ser alterada. A pandemia do coronavírus tem provocado muito cancelamento de viagens. O traslado só acontecerá na quarta-feira, dia 8, nos mesmos horários. Ou seja, entre 20 e 21 horas deve chegar na Volta do Rio, onde o corpo será velado no sítio que pertencia a Raimundo Doca.

ATUALIZADA ÁS 20:47

Mais um barrense morre em São Paulo de infarto. Enterro será entre Barras e Boa Hora

 

Mais um barrense morre de infarto em São Paulo, longe de sua terra natal. Trata-se Raimundo Nonato Carvalho de Souza, o Raimundo Doca, que completaria 51 anos em novembro. Ele era empresário e prestava serviço para a Votorantim na cidade de Jardim São Luís – São Paulo.

Raimundo Doca foi encontrado em seu apartamento na noite deste domingo (06). A família estranhou o fato de ele não estar dando notícias e uma prima decidiu ir ao apartamento onde ele mora. Ela teve que chamar a polícia porque precisava de autorização para entrar. Lá dentro, encontraram o corpo. Ele era solteiro e não tinha filhos.

Raimundo Doca tem um irmão conhecido como Biló que mora no Bairro São Cristóvão e é proprietário de um depósito de bebidas em Barras. O corpo vai ser despachado para o Piauí. O corpo, que já foi liberado, vai ser enterrado no povoado Volta do Rio, entre as cidade de Barras e Boa Hora, onde o mesmo tinha um sítio.

O corpo sai amanhã às 14 horas de São Paulo e chega por volta das 18:00  em Teresina.
Entre 20 e 21 horas deve chegar na Volta do Rio, onde o corpo será velado na residência porque foi liberado pelos médicos de São Paulo.

NOTÍCIA RELACIONADA!

Jovem barrense morre em São Paulo vítima de um infarto fulminante