Um grande percentual da população de Porto Piauí vive às margens da miséria. Famílias inteiras residem em barracos de palha, sem acesso à energia e água potável, nos principais bairros do município.

Em contrapartida, casas estruturadas, construídas com recursos do governo federal, continuam fechadas no residencial morada do porto. Muitas delas, certamente, propriedades de empresários bem sucedidos.

Outro conjunto habitacional está sendo construído e o medo de que haja esquemas para favorecimento de pessoas ricas paira novamente sob aquelas que sonham com a casa própria. O povo pobre é espancado e enganado todo dia.