A Secretaria Estadual de Saúde (Sesapi) disse à Rádio CBN que não orientou à secretaria municipal Saúde de Barras a coletar material do corpo do conselheiro Genival Santos  no último domingo, conforme disse ao site G1 a prefeitura de Barras. A Sesapi afirmou que esse não é um procedimento adotado pela secretaria.

A Prefeitura de Barras havia informado ao G1 que o teste foi realizado porque a vítima “era jovem e faleceu por comorbidade, diabetes”. Que a Sesapi havia orientado sobre a necessidade de investigar casos de óbitos nessas circunstâncias. “Como o corpo já não se encontrava mais no hospital, a Sesapi orientou que pudéssemos ir ao velório realizar a coleta”. Foi essa a informação que a pasta estadual da Saúde não confirmou.

Até o momento a Prefeitura de Barras não emitiu nota para esclarecer o que aconteceu no velório. A presença de uma técnica da secretaria municipal de Saúde fazendo teste de coronavírus no corpo dentro de um caixão foi destaque até na imprensa nacional.

A Sáude municipal também não refutou a declaração da diretora do Hospital Regional Leônidas Melo, Laianne dos Santos, que disse que os funcionários do hospital não participaram dessa decisão e nem concordaram com ela.

Há um mistério envolvendo esta questão e, ao que parece, a Saúde do município e a comunicação está meio perdida nesta pandemia, sem existir uma unidade na gestão de informações e de ações neste momento de crise.

Nesta terça-feira (19), outro ruído de comunicação envolvendo as instituições. A prefeitura lança um boletim às 18 horas constando 33 casos confirmados. Às 19:30, boletim da Sesapi sai informando 36 casos positivados para Covid-19.

VEJA NOTÍCIA DO G1 SOBRE O CASO

NOTÍCIAS RELACIONADAS

Barras: exame para Covid é realizado após morte de paciente, durante o velório. Vídeo!

Hospital de Barras diz que não realizou e nem aprovou exame para Covid-19 em velório

Exame do conselheiro Genival Santos testa negativo para coronavírus