O Desembargador Luiz Gonzaga Brandão de Carvalho do Tribunal de Justiça do Piauí (TJ-PI) negou nesta sexta-feira (30) o pedido de liminar ingressado pelo advogado Virgílio Bacelar no processo de impeachment do prefeito Manoel Lázaro (PT).

Em mais uma derrota nos tribunais, Virgílio tentou a derrubada da decisão de 1ª instância do juiz de Direito Sérgio Roberto Marinho Fortes do Rêgo que anulou a votação da câmara dos vereadores de Nossa Senhora dos Remédios.

Conforme os despachos da Justiça, foram identificadas inúmeras irregularidades que violam ao devido processo legal corrido no legislativo, como sendo, por exemplo, a manobra de posse do suplente Gonçalo Fortes antes da vacância oficial do cargo de vereador.

Apontado como sendo o principal mentor da cassação do prefeito, Virgílio foi protagonista de várias polêmicas durante o processo. Afrontou vereadores, ofereceu vantagens em troca de votos e sugeriu a anulação de concurso público (flagrado em vídeos e áudios).

O fracassado plano do advogado pode custar caro aos vereadores que seguiram suas guias. Júnior Jabarão, Ivan Luz, Chico Lázaro, Gonçalo Fortes, Elias Neto, Mirim e Regino terão uma verdadeira prova de fogo nas eleições de 2020.