BARRAS/Proteger as margens dos rios é mais uma promessa não cumprida de Carlos Monte

Em Barras, política compromete punição para quem extrai pedras do Rio Longá

Um crime ambiental persiste em Barras debaixo dos olhos dos administradores, que fazem vista grossa. A extração irregular de pedras do Rio Longá é feita como se fosse uma atividade legal.

As pedras são destinadas à construção civil, usadas na confecção de paralelepípedos para calçamento de ruas.

É um problema grave que a prefeitura de Barras finge que não existe.

Durante a campanha eleitoral, o candidato leu e ouviu as propostas do prefeito Carlos Monte, mas a área de meio ambiente foi outra que o gestor eleito de Barras não conseguiu cumprir o que prometeu.

Veja as propostas!

Fortalecer a Secretaria de Meio Ambiente. 

Preservação das matas ciliares das bacias dos Rios Marataoan, Longa, Corrente e seus afluentes. 

Peixamento do Rio Marataoan. 

Desenvolver projetos que favoreçam a procriação dos peixes nos rios. 

Desenvolver um plano de combate às queimadas. 

Preservação das fontes naturais. 

Desenvolver ações de reflorestamento. 

Construção de Aterro Sanitário. 

Desenvolver atividades educativas ambientais nas escolas públicas. 

Regulamentar coleta para resíduos provenientes das trocas dos derivados do petróleo. 

Realizar coleta seletiva do lixo domiciliar. 

Preservar as árvores nativas produtoras de alimentos. 

Capacitação de pessoal para as atividades protetoras do meio ambiente. 

Incentivar o desenvolvimento do Parque Ambiental da Cachoeira da Lapa.

Destino adequado ao lixo hospitalar 

Promover parceria com entidades envolvidas com o Meio Ambiente.

O atributo alt desta imagem está vazio. O nome do arquivo é WhatsApp-Image-2019-11-06-at-11.48.44-768x1024.jpeg

Notícias relacionadas!

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here