Acusado de matar Tote Aristide, vereador de Esperantina, é posto em liberdade

O réu Jaílson de Sousa Xavier, vulgo “Chapéu”, acusado de assassinar o ex-vereador de Esperantina, Antônio Aristide de Carvalho, o Tote Aristides, em agosto de 2016, foi posto em liberdade nesta quarta-feira (02/10). A decisão é do juiz Arilton Rosal Falcão Júnior.

Conforme a decisão do juiz: “Assim, considerando o excesso de prazo na formação da culpa, bem assim diante da imposição da soltura por força da Lei aprovada pelo congresso nacional, a fim de não correr o risco de incidir em tipo aberto de “abuso de autoridade”, concedo a Jailson de Sousa Xavier (“Chapéu”) liberdade provisória sem fiança“.

Ainda segundo o juiz, Jailson deverá seguir o cumprimento das seguintes medidas cautelares: “a) comparecimento mensal em juízo, para informar e justificar atividades; b) proibição de mudar de residência ou ausentar-se da comarca por prazo superior a oito dias sem prévia comunicação a este juízo e à autoridade policial; c) recolhimento domiciliar no período noturno (das 18h às 6h do dia seguinte); e, d) proibição de frequentar bares, boates, prostíbulos e casas de jogos; e) proibição de manter contato ou de se aproximar da
testemunha Maria Alice Carvalho dos Santos, bem como de qualquer familiar desta.

CONFIRA A DECISÃO COMPLETA

Vereador Tote Aristide (Foto: Divulgação/Reprodução)
O CRIME

Antônio Aristide de Carvalho, conhecido popularmente como Tote Aristide, tinha 64 anos quando foi assassinado a tiros na noite do dia 28 de agosto de 2016. Na época, ele era vereador pelo PMDB, hoje MDB, e presidente da câmara de vereadores do município.

O crime aconteceu por volta das 19h30, na Rua Toni Ramos, que dá acesso à Penitenciária Luiz Gonzaga Rebelo, no bairro Batista de Amorim.

O parlamentar teria saído da sua residência para acalmar os ânimos de uma discussão familiar, quando houve o desentendimento e o vereador foi alvejado com vários tiros no peito.

Tote Aristide chegou a ser socorrido e levado às pressas para o setor de urgências do Hospital Estadual Dr. Júlio Hartman, mas não resistiu aos ferimentos e veio à óbito.

PRISÃO DO ACUSADO

O acusado do crime, Jaílson de Sousa Xavier, mais conhecido como “Chapéu”, foi presono dia 14 de outubro de 2016, na cidade de Redenção do Gurguéia, quando estava em um ônibus que vinha de Brasília (DF).

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here