Aniversário de Barras: banda de segunda não consegue ofuscar o fracasso de domingo

Desprestígio, improviso e falta de divulgação marcam programação de aniversário dos 178 anos de Barras

A população não ficou sabendo da programação oficial da prefeitura de Barras. Ou, se ficou, preferiu não ir prestigiar. O resultado foi uma cena triste: uma avenida deserta, uma boa banda tocando e ninguém para ouvir. As imagens não mostravam somente a beira-rio vazia, mas prenunciavam o cenário eleitoral do próximo ano e o desprestígio do prefeito.

Tomara que Carlos Monte não tenha ido, porque ficar sozinho em um evento sem público não fica bem para a imagem de um prefeito, que já está bem arranhada pela inércia da administração; pela falta de criatividade e de jogo de cintura para gerir recursos, e por querer beneficiar uma minoria seleta que faz parte da sua administração (A  prova disso é o contraditório projeto que ele enviou para a câmara para dar gratificação aos comissionados com nível superior no momento em que vive chorando uma prefeitura em crise financeira).

Na festa de domingo à noite, os comerciantes informais com a mão no queixo olhando para o nada esperavam alguém para comprar um espetinho, uma coca cola, uma cerveja. Não venderam. Desestimulados, desarmaram suas barracas e foram embora. “Por que não fomos para a vaquejada?”, devem ter se questionado alguns.

DESEJO DE MENINA

Para amenizar o vexame, no início da tarde da segunda (23), a notícia: “Banda Desejo de Menina vai tocar hoje na praça”, espalharam alguma pessoas nas redes sociais. De um dia para a noite a crise acabou. Quando questionados de onde aparecera o dinheiro para pagar a banda de forma tão repentina, respondiam: ‘foi a deputada Janaína que deu de presente’.  Por que ela não deu o dinheiro antes para que se tentasse fazer uma boa divulgação e atrair público. Estranho!

O que se viu na tarde de segunda foi um supetão de assessores de tudo quanto é órgão municipal compartilhando de forma desesperada a festa do Desejo de Menina programada de última hora.  Era necessário chamar gente! E rápido. O fracasso do evento anterior deveria ser esquecido.

Em Barras, assim como em todo município, público nos eventos é termômetro de popularidade. A coisa está feia na Terra dos Governadores: nem os comissionados vão aos eventos.

A praça é melhor de fazer eventos porque passa a impressão de um público maior

POR QUE A FALTA DE PÚBLICO?

A comunicação não está conseguindo que as informações sejam divulgadas de forma que alcance o público é uma das hipóteses, mas não é só esse o motivo do fracasso das comemorações dos 178 anos de Barras. Seria injusto atribuir somente à imperícia da comunicação. Outro motivo seria a impopularidade do gestor, que foi eleito como esperança de mudança. As pessoas engoliram a arrogância, que é marca do prefeito Carlos Monte, e acreditaram que ele traria uma mudança ao município. A mudança não veio.

A população não quer um prefeito que se vitimiza todo tempo e que usa isso como estratégia. O que as pessoas vêem é um prefeito que não sabe gerir recursos. O povo não quer saber de discurso das gestões anteriores que não souberam administrar e que desviaram recursos, as pessoas querem é suas ruas iluminadas, remédios nos postos de saúde, segurança de andar nas ruas e o dinheiro circulando no comércio. Infelizmente, esses não são motivos de comemoração no aniversário da cidade.

Barras precisa de boas ideias e de ações concretas!o

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here