Assaltante da agência dos Correios de Porto corre o risco de perder a perna na prisão

  • Um dos cinco prisioneiros acusados de assaltar a agência dos Correios no município de Porto, William Teixeira da Silva, 19 anos, natural de Luzilandia-Pi até a manhã desta quinta-feira (17) aguardava um procedimento cirúrgico em um machucado da perna. A situação se agravou que ele corre o risco de perder a perna porque caiu da moto  durante a fuga. O ferimento se agravou bastante ao ponto do mal cheiro estar incomodando os policias e os demais presos da delegacia de Porto. A moto havia sido tomada de assalto.

Na ação foram presos:

Marcos João Nascimento Neto, 25, Matias Olimpio-Pi
William Teixeira da Silva, 19, Luzilandia-Pi
Dinael Silva, 30, Matias Olimpio-Pi
Maria Dalva da Conceição Sousa, 33, Coelho Neto – Ma. O último  a ser preso foi Fábio Alves.

SOBRE O CASO! – Um bando fortemente armado explodiu a agência dos Correios da cidade de Porto, a 183 km de Teresina, na madrugada desta segunda-feira (7). Segundo o cabo Jota Luiz, apenas um policial militar fazia a segurança da cidade no momento do crime.

O cabo declarou que um dos criminosos passou armado em frente à delegacia da cidade, onde ficam os policiais militares, após a explosão. Ele acredita que o bandido foi ao local para intimidar o único policial que estava de plantão.

“A cidade conta apenas com cinco militares que fazem revezamento e por isso alguns dias a segurança é feita por apenas um policial. E este crime aconteceu no dia em que havia apenas um PM, ele não podia fazer nada diante de cinco homens fortemente armados”, lamentou.

Segundo o policial, os bandidos tiveram acesso ao local depois de abrirem um buraco na parede dos fundos da agência.

“Eles quebraram a parede, entraram no local e explodiram o cofre. Por conta da explosão, a estrutura da agência ficou comprometida”, contou o cabo Jota Luiz.

Um funcionário do Correios contou ao policial que o bando conseguiu abrir o cofre, mas ainda não se sabe a quantia levada. O local foi isolado e a pericia da Polícia Federal acionada para fazer a perícia.

DEIXE UMA RESPOSTA