Barras aparece no novo Mapa do Turismo representando o Polo das Águas

O mapa do turismo do Piauí mudou. O estado reduziu de 127 para 35 o número de municípios participantes de suas sete regiões turísticas: Teresina (5); Histórico Cultural (8); das Origens (5); das Nascentes (2), das Águas (4), da Costa do Delta (5); e Polo Aventura e Mistério (6). O levantamento foi divulgado pelo Ministério do Turismo, em Brasília. Em todo o país, foram identificados 2.175 municípios em 291 regiões turísticas.

O município de Barras aparece no novo Mapa do Turismo como representante do Polo das Águas, mas o que se vê na prática é que nenhum investimento foi feito pela administração do município nos últimos 4 anos para atrair turistas. Pelo contrário, os rios estão cada vez mais assoreados e poluídos. A retirada de pedras do Rio Longá sem controle e fiscalização para a construção civil torna o quadro mais drástico. As cachoeiras, como a do Xixá, são poucos conhecidas e divulgadas. o turismo é preterido porque a administração não conseguiu associar o setor com a atração de divisas e movimentação de dinheiro dos turistas.

Cachoeira do Xixá, paraíso pouco explorado
Cachoeira do Xixá, paraíso pouco explorado

Para o ministro interino do Turismo, Alberto Alves, este redimensionamento contribui para melhorar a capacidade do Ministério do Turismo de atuar de forma coordenada com os estados, regiões turísticas e municípios, para desenvolver e consolidar novos produtos e destinos turísticos. “Com um mapa mais enxuto e que retrata de forma mais fiel a oferta turística brasileira, poderemos focar nossos esforços e otimizar nossos resultados, afirmou.

Para a atualização do mapa, foram realizadas oficinas e reuniões em todas as 27 UFs e a validação do mapa foi feita pelos estados e Distrito Federal em seus respectivos Fóruns ou Conselhos Estaduais do Turismo.

SOBRE O MAPA – O Mapa do Turismo Brasileiro é um instrumento de orientação para a atuação do Ministério do Turismo no desenvolvimento de políticas públicas, tendo como foco a gestão, estruturação e promoção do turismo, de forma regionalizada e descentralizada. Sua construção é feita em conjunto com os órgãos oficiais de Turismo dos estados e municípiosa brasileiros.

CATEGORIZAÇÃO DO NOVO MAPA DO TURISMO – Os 35 municípios do Piauí presentes no Mapa do Turismo se dividem em 5 categorias, de acordo com a Categorização dos municípios das Regiões Turísticas do Mapa do Turismo Brasileiro. O instrumento, elaborado pelo MTur, identifica o desempenho da economia do turismo para tornar mais fácil a identificação e apoio a cada um.

Dentro da metodologia, as cidades contempladas nas categorias A, B e C contam com 95% dos empregos formais em meios de hospedagem 87% dos estabelecimentos formais de meios de hospedagem, 93% do fluxo doméstico e têm fluxo internacional. O conjunto de municípios dos grupos D e E, reúnem características de apoio às cidades geradoras de fluxo turístico. Muitas vezes são aquelas que fornecem mão-de-obra ou insumos necessários para atendimento aos turistas.

Confira como ficou a categorização do mapa do turismo do Amapá:

CATEGORIA 2013 2016 DIFERENÇA
A 1 1 0
B 1 1 0
C 6 5 -1
D 53 22 -31
E 66 6 -60
TOTAL 127 35 -92

Abaixo a lista das regiões e municípios que compõem o mapa do estado

REGIÃO TURÍSTICA MUNICÍPIO
Polo Aventura e Mistério Buriti dos Montes
Castelo do Piauí
Juazeiro do Piauí
Pedro II
Piracuruca
São João da Fronteira
Polo Costa do Delta Buriti dos Lopes
Cajueiro da Praia
Ilha Grande
Luís Correia
Parnaíba
Polo das Águas Barras
Batalha
Caxingó
Esperantina
Polo das Nascentes Bom Jesus
Corrente
Polo das Origens Caracol
Coronel José Dias
João Costa
São João do Piauí
São Raimundo Nonato
Polo Histórico Cultural Amarante
Floriano
Ipiranga do Piauí
Jerumenha
Oeiras
Picos
Regeneração
Valença do Piauí
Polo Teresina Campo Maior
José de Freitas
Santa Cruz dos Milagres
Teresina
União

BOA PRÁTICA – O Tribunal de Contas da União e o Senado Federal reconhecem o Mapa do Turismo Brasileiro como um instrumento de gestão para orientar o desenvolvimento de políticas públicas regionalizadas e descentralizadas. A atualização constante do documento se torna, portanto, fundamental para que esse instrumento seja eficaz e respeite os princípios de eficiência da Administração Pública.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here