BATALHA: acusado da morte de Netinho vai a júri popular

O jovem José Elenilton Nascimento da Silva, vulgo “Louro”, será submetido a julgamento pelo Tribunal do Júri Popular da Comarca de Batalha. Ele é acusado pelo homicídio doloso de Raimundo Pereira Barros Neto, mais conhecido como Netinho, e pela tentativa de homicídio do irmão dele, Erivan de Carvalho Gomes. O julgamento ainda terá data marcada.

A sentença de pronúncia para o julgamento foi proferida pela juíza titular da Vara do Tribunal do Júri, Lidiane SuelyMarques Batista, na última quinta-feira (26/04/2018) e publicada no diário de eletrônico Justiça na sexta-feira (27/04/2018).

Na Ação Penal, o Ministério Público denunciou “Louro” pelos crimes de homicídio qualificado por motivo torpe e tentativa de homicídio qualificado simples, condutas descritas no art. 121, §2º, I, e art. 121, caput c/c art. 14, II, todos do CPB.

Entenda o caso

Narra a denúncia que no dia 22.07.2017, por volta das 03 horas, na localidade Marinheiro, zona rural do município de Batalha-PI, o denunciado, com a intenção e vontade de matar alguém, desferiu, com arma branca(faca), golpes contra a vítima, as quais causaram as lesões por ferimento perfurante na coxa esquerda de Netinho (montador de palco da Banda Alfa Play), atingindo a artéria femoral, causando a morte da vítima por hemorragia.

Acrescenta ainda que o denunciado, armado com a arma branca supramencionada, tentou matar a vítima Erivan de Carvalho, ao desferir golpes contra o mesmo, atingindo-lhe na região abdominal e mão direita 2º dedo, não consumando o delito por circunstâncias alheias a sua vontade, eis que a vítima não foi atingida em região fatal, bem como pela defesa empreendida pelo irmão da vítima, a qual enfrentou o acusado, vindo a óbito em razão do conflito.

Consta que por ocasião dos fatos, acusado e vítimas encontravam-se em uma seresta no bar “encontro dos paulistas”, quando se iniciou uma discussão entre o denunciado e a vítima Erivan, fato ocorrido do lado de fora do clube, ocasião em que o acusado puxou uma faca e com ela atingiu a integridade corporal da vítima, perseguindo-a em seguida, até o momento em que esta conseguiu guarida na casa de um amigo. Acrescenta, que não satisfeito, o réu voltou para a festa e ao ser interpelado pela segunda vítima Netinho -, desferiu, sem briga e sem discussão alguma, uma única facada que atingiu a região da virilha da vítima, provocando hemorragia e a consequente morte da mesma.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here