Caso Camilla: PM se entrega e alega traição! Veja vídeo da localização do corpo

O delegado afirmou ainda durante entrevista que o criminoso praticou dois crimes: assassinato e ocultação de cadáver:

O corpo foi encontrado em avançado estado de decomposição em um matagal a uma distância de aproximadamente 15 metros de uma estrada de chão, entre Teresina e Altos, que dá acesso a um sítio de propriedade do capitão da PM, Alisson Watsson, que era namorado da jovem. Foi ele que indicou onde o corpo estava, após se entregar.

O delegado Barêtta disse que a estudante foi alvejada dentro do veículo do assassino e  que há indícios de que a jovem tenha levado uma pancada com um objeto contundente. O delegado conta como Alisson narrou o fato: “Ele conta a versão dele, que atirou dentro do carro após ter mantido relação sexual com ela. É a versão dele, evidentemente que estamos investigando para saber o que realmente aconteceu. Se ele confessasse ou não a polícia tinha construído as provas necessárias para prender ele e deixar na cadeia”, disse o delegado.

Na versão do assassino confesso, a motivação do crime teria sido uma discussão. “Ele conta a história que teve uma discussão por causa de namoro, ciúmes também. Ele era um homem muito agressivo e nós temos o histórico dele todo levantado. A gente já tinha muita informação e, com a prisão hoje à tarde, só veio a colaborar [para localizar o corpo]”, afirmou Barêtta, acrescentando que no inquérito será apurado se ele teve a ajuda de alguém.

“Se o crime tiver algum co-autor ou partícipe, será demonstrado no inquérito policial”, esclareceu o delegado da Homicídios.

O delegado geral Riedel Batista destacou que nada que o acusado fale, vai conseguir minimizar o que aconteceu. “A questão da versão dele não minimiza em nada a forma como ele matou a jovem. Ele pode falar o que ele quiser, não muda em nada a situação dele”

Riedel falou isso porque Allisson Wattson sustenta a versão que houve uma discussão no carro por causa de traição. Camilla já tinha histórico de ser agredida durante a relação por causa de ciúmes e seus familiares afirmam que ele é psicopata.

O pai da vítima, Jean Carlos Abreu, que acompanhou a localização do corpo, disse esperar que o suspeito fique preso.  “Eu falei para ela porque o pai quando vê, ele avisa. Eu soube das agressões depois porque se soubesse antes teria tirado ela dele”, disse o pai da vítima. Jean Carlos disse que soube nos últimos dias de outros episódios de violência envolvendo o policial militar.

“Era normal o comportamento comigo, mas tinha alguma coisa por trás. Agora entendi que era uma pessoa violenta. Uma vez ele deu um tiro em um rapaz porque deu um beijo na minha filha no rosto”, contou ele acrescentando que o suspeito tinha muitos ciúmes da filha dele.

Jean Carlos Abreu falou ainda que esperava encontrar a filha viva. “Ninguém imaginava que ele tivesse matado ela. Na sexta ele entregou a arma no quartel, que era para o comando ter pego ele nesta hora. Esperava encontrar ela viva. Eu tinha esperança. Tenho revolta, mas não tenho nem palavras”, disse o pai.

Atualizado às 19:49

PM se entrega e revela onde está o corpo de Camilla Abreu

A polícia localizou na tarde desta terça-feira (31) o corpo da estudante de Direito Camilla Abreu no povoado Mucuim, próximo ao rodoanel, da estrada que liga Teresina a Altos. O corpo está em avançado estado de putrefação e foi encaminhado para o IML.

De acordo Barêtta, Allisson informou onde se encontra o corpo da jovem. “Ele já está preso e o corpo já foi localizado. Estou me dirigindo ao local. Ali no povoado Mucurim, depois da Polícia Rodoviária Federal. Estou levando a perícia”, afirmou.

Foi expedido ainda um mandado de busca e apreensão do veículo do policial, que passou por uma série de descaracterizações a fim de ocultar provas do crime. Ao contrário do que Allisson havia informado à polícia, o automóvel modelo Corolla não foi vendido e está escondido na casa de parentes.

“Nossas investigações apontam que Camila foi assassinada no interior do veículo de Allisson, que está escondido na casa de parentes, mas já sabemos onde o veículo está e se houver obstáculos na apreensão nós vamos prender o responsável”, declarou o delegado.

O delegado afirmou que o capitão Alisson Watson matou Camila Abreu com um tiro no rosto no interior do veículo, onde eles mantiveram relações sexuais. Segundo ele, o assassinato ocorreu após uma discussão entre o casal. O carro estava estacionado nas margens da BR-343 na Ladeira do Uruguai, próximo a um restaurante na zona Leste de Teresina, onde o telefone celular da estudante foi encontrado na sexta-feira, um dia após o seu desaparecimento.

atualizado às 16:25

Pedida a prisão temporária de namorado de Camilla Abreu, morta com tiro no rosto

O delegado Barêtta afirmou confirmou agora há pouco que o delegado Emerson pediu a prisão temporária do capitão da Polícia Militar e namorado da estudante de direito Camilla Abreu, Alisson Wattson da Silva Nascimento.

A prisão foi decretada pelo juiz Luis Moura. O delegado Emerson já está fazendo uma diligência para prender o acusado e apreender o veículo.

O delegado confirmou ainda que o capitão Allisson Wattson matou a namorada após terem tido relação sexual dentro do carro. Possivelmente ele teria atirado no rosto de Camilla. Há suspeita de que o veículo de Allisson, modelo Corolla de cor azul, está escondido na casa de parentes.

ATUALIZADO ÀS 15:56

Polícia confirma que Camilla Abreu foi morta e corpo pode ter sido queimado

Na manhã desta terça-feira (31/10), o delegado Francisco Costa, o ‘Baretta’ confirmou em entrevista ao programa Bom Dia Meio Norte que a jovem estudante de direito Camilla Pereira de Abreu, de 21 anos, que estava desaparecida desde a última quarta-feira (25/10), está morta.

Nós recebemos esse caso por determinação do secretário de segurança Fábio Abreu e do delegado geral Riedel Batista, trabalhamos intensamente a equipe do delegado Emerson e a fase de coleta de indícios já esta se finalizando infelizmente o que nós podemos dizer para a sociedade é que a jovem sofreu uma ação criminosa, ela está morta”, afirmou.

Sobre a possível prisão do namorado da jovem, o capitão da Polícia Militar Alisson Watson que é o principal suspeito do crime, o delegado declarou: “Nós estávamos diante da materialização de um fato, agora nós estamos diante da materialização de um fato criminoso, a coleta de indícios está se prosseguindo e a autoria está se desenhando. Eu queria dizer que a gente não pensa no nome do criminoso e sim as circunstâncias que nós vamos chegar no criminoso, para que quando chegarmos até ele nós termos provas suficientes da autoria do fato em si. Eu acredito que nas próximas horas o delegado Emerson junto com sua equipe estará se diligenciando no sentido de coletar indícios mais do que suficientes para que a gente possa se embasar”.

Camilla Abreu: 'Jovem desaparecida está morta', confirma delegado
Jovem Camilla Abreu com o namorado capitão (Crédito: Reprodução)

O delegado afirmou ainda durante entrevista que o criminoso praticou dois crimes: assassinato e ocultação de cadáver: “Nós iniciamos todo um ato investigatório com a coleta de indícios, percorremos os últimos passos da Camilla, refizemos toda sua última trajetória com a oitava de pessoas e hoje eu posso garantir com firmeza que ela foi vítima de uma ação criminosa. Nós já temos indícios, agora a autoria está se desenhando, precisamos agora só fechar a última indagação que é a motivação que infelizmente fica muito subjetiva mas é muito importante porque nenhum crime doloso é praticado sem motivo, como também precisamos saber as circunstâncias que ele foi praticado. Nós não temos dúvida que além do ato criminoso estamos diante da ocultação de cadáver, isso se não houver a destruição ou próximo a isso. O criminoso até pela própria vaidade dele se trai e ele pratica atos onde deixa a assinatura dele, em cada passo que ele dá ele deixa o seu próprio rastro. O delegado Emerson está diligenciando com a equipe dele no sentido de colher mais provas e medidas serão adotadas”, declarou.

Ao ser indagado sobre o comportamento do namorado, Baretta afirmou: “Até o momento eu não tive nenhum contato com o capitão da Polícia Militar, eu não recebi visita dele e nenhum contato dele, também nem a arma me foi apresentada. Quando nós tivemos delineado todos os dados em si evidentemente que ele será chamado para a Delegacia de Homicídios”, disse.

“Eu posso afirmar categoricamente que o caso está elucidado nas últimas horas. Quando eu disse que nós vamos dar naquele dia o bom dia para Camilla estamos falando que criamos uma linha do tempo e nessa linha n’ps fomos fechando todas as janelas para que quando chegarmos ao autor do fato ele possa criar álibi e se ele criar álibi não terá janela para ele, ele vai ficar encurralado sobre a lei brasileira”, finalizou.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here