Cresce número de descontentes que buscam emprego na PMB

BARRAS – Já existem muitos eleitores descontente por ainda não terem conseguido emprego na gestão que se inicia. Muitos já dizem que é mais fácil falar com a presidente Dilma do que com o prefeito Edilson Sérvolo.

Tem pessoas que estão levando lista de nomes de pessoas para a Casa Rosada (foto) no afã de serem empregadas, mas saem descontentes porque não conseguem falar com o prefeito.

O secretário de Administração, Joaquim Lucas,  recebe as pessoas, mas diz que não pode fazer muita coisa porque a decisão das contratações é do prefeito.

O que ainda está sendo feito é transferência de pessoas que já são empregadas da zona rural para a zona urbana, de um bairro para outro.

Não é preciso andar muito para ouvir um depoimento de um descontente. Basta ir  na Praça Joaquim Pires. Há até vereador reclamando da dificuldade de encontrar o prefeito.

Outro motivo de descontentamento são os cargos com baixos salários oferecidos a pessoas que acreditam que tiveram participação de destaque durante a campanha.  O salário de uma coordenadoria, por exemplo, vai de R$ 800 a R$ 1.200 e é recusado por muitas pessoas que, pelo trabalho que desenvolveram durante a campanha, acreditam que mereciam coisa melhor. A coordenadoria de comunicação, por exemplo, foi esnobada por muitos profissionais do setor por conta do baixo salário. Por outro lado, a prefeitura não tem condições financeiras de abarcar muitas secertarias em sua estrutura administrativa.

Acomodar a militância vai ser um dos grandes desafios da gestão Capote.

 

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here