DER vai recuperar e fazer drenagem superficial da rodovia que passa no Açude Caldeirão

Técnicos do Departamento de Estradas e Rodagens do Piauí (DER) fizeram vistoria à PI-237, que passa na parede do Açude Caldeirão e liga os municípios de Piripiri a Lagoa do São Francisco e, segundo Castro Neto, presidente do DER, já foram tomadas as providências.

O engenheiro e gerente de construção do DER, Matias Sales, afirma que após a visita técnica, a empresa Hidra fez o roço para limpar a parede do açude e verificamos que houve somente deformações da camada superior da pavimentação asfáltica, por onde passam os carros”, diz Matias, enfatizando que não foi encontrada erosão.

Concluído a limpeza da parede, Matias diz que volta nesta sexta, 8, ao Açude Caldeirão para analisar a estrutura da parede e autorizar a empresa a fazer os serviços de drenagem superficial da água acumulada no asfalto.

“Vamos restaurar a camada de pavimentação e fazer o sistema de drenagem. A construtora Hidros é a responsável pela manutenção e restauração das rodovias no Território dos Cocais. Portanto, será restaurada a pista existente e se tiver algum dano estrutural, água cavando embaixo da parede, algum vazamento da represa do açude ai já não compete mais ao DER”, explica, enfatizando que o DER fará a drenagem superficial, das águas superficiais que correm em cima da parede, na pista. “Vamos fazer a pavimentação da estrada, colocar meio-fio e recuperar as descidas de água também em concreto”, explica.

Entenda o caso
A civil pública foi impetrada por meio da 3ª Promotoria de Justiça de Piripiri. Em dezembro de 2018, o promotor Nivaldo Ribeiro tomou conhecimento sobre a parede do açude e requisitou informações ao DNOCS – Departamento Nacional de Obras contra a Seca – sobre o caso. O órgão declarou que corrigiu o problema da barragem do açude, porém caberia ao Departamento de Estradas e Rodagem – DER, fazer a drenagem na parede para o escoamento da água, conforme relatório apresentado.

De posse dessa informação, o promotor enviou recomendação orientando ao órgão estadual a tomada de providências para sanar o problema. O promotor de Justiça também convocou uma audiência para discutir o problema, a qual foi marcada para o dia 21 deste mês. No entanto, a comunicação enviada ao DER foi recusada e devolvida à 3ª Promotoria de Justiça de Piripiri.

Na audiência, os representantes do DNOCS afirmaram que o DER não fez a respectiva drenagem na estrada que passa nos arredores do açude, o que gerou fissuras que poderão comprometer a estrutura da parede. Afirmaram ainda que o DER não realiza de forma contínua a manutenção da estrada. Os servidores do DNOCS teriam feito contato telefônico com o DER, e este órgão informou que iria providenciar a ordem de serviço na semana seguinte à audiência. Todavia, a medida não foi cumprida.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here