Domingo de Ramos: Católicos barrenses revivem a entrada de Jesus em Jerusalém

O Domingo de Ramos abre as celebrações da Semana Santa, última do período de Quaresma e a mais importante do calendário cristão. É nessa semana que a igreja católica celebra os mistérios da paixão, morte e ressurreição de Cristo.

A Procissão de Ramos teve início na Capela de N.Sra. de Fátima,  localizada na Rua Leônidas Melo, no Bairro de Fátima, onde antes de iniciar os ritos litúrgicos de Domingo de Ramos, foi servido um farto café da manhã para todos os fiéis que ali chegavam para a celebração ofertado pela comunidade de Fátima.

Após o café e a Celebração na Capela de Fátima, a procissão seguiu até a Matriz de Nossa Senhora da Conceição para a continuidade dos ritos litúrgicos e bênção dos Ramos, momentos estes coordenados pelo Padre Allan Kardec.

No Domingo de Ramos, uma comemoração de data móvel, os cristãos são chamados a reproduzir a entrada triunfante de Jesus em Jerusalém montado num jegue, após um período de penitência no deserto. Em seu retorno, Jesus foi recebido com festa pelos hebreus, que acenavam com ramos de oliveiras e palmeiras. A data celebra, portanto, o acolhimento de Jesus pelo povo e pelos pobres, além ser reconhecido por eles como o Messias. O Domingo de Ramos é comemorado em todo país e é comum ver procissões de fiéis com seus ramos pelas ruas.

No ritual desse domingo, os ramos são abençoados e podem ser guardados para serem queimados na quarta-feira de cinzas do ano seguinte. Além disso, os cristãos são chamados para a caridade, para a solidariedade e para pensar no próximo. O chamado se reforça em situações em que seja necessário realizar algum tipo de sacrifício ou superar as diferenças entre as pessoas. Os fieis são lembrados, assim, do próprio sacrifício de Jesus, que morreu na cruz para libertar seu povo.

O nome da celebração teria surgido com base num relato de uma peregrina chamada Ethéria ou Egéria. Ela conta que, no século IV, um grande número de pessoas se dirigia a Jerusalém para celebrar a entrada de Jesus na cidade. Ao mesmo tempo, em Roma, a liturgia mais sóbria comemorava a Paixão do Senhor. O nome da celebração teria vindo da unificação desses dois eventos.

Imagens: Paulo Victor  – PASCOM  PNSC e Redes Sociais.

IMG-20190414-WA0048IMG-20190414-WA0044IMG-20190414-WA0045IMG-20190414-WA0046IMG-20190414-WA0043IMG-20190414-WA0042IMG-20190414-WA0040IMG-20190414-WA0041IMG-20190414-WA0039IMG-20190414-WA0038

IMG-20190414-WA0036IMG-20190414-WA0035

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here