Escolas da zona rural de Porto apresentam condições caóticas

O Ministério Público poderá novamente entrar em ação em relação às escolas sucateadas de Porto Piauí. É que o prefeito não está cumprindo o acordo feito em 2017 com o órgão para proporcionar espaços dignos para os estudantes e professores.

Há poucos dias, moradores interditaram por conta própria uma escola com paredes rachadas que ameaçava desabar sobre as crianças no povoado João Pinto. O gestor terá que explicar como gastou os recursos com a falsa reforma daquele prédio.

Distantes da área urbana, onde parte dos colégios foram pintados, populares de outras localidades denunciam que seus filhos estão estudando em situação precária, sentados em pedaços de madeira e colocados em casas de palha.

Alguns enviaram imagens de paredes rachadas, banheiros sucateados, falta de abastecimento d’água, refeitórios impróprios e até animais dentro das escolas.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here