Ex-prefeito de cidade da região Norte responde processo por homicídio no trânsito

O ex-prefeito de Piracuruca, Raimundo Vieira de Brito, mais conhecido como “Raimundo Louro”, foi denunciado à Justiça acusado de homicídio culposo na direção de veículo automotor com omissão de socorro.
O crime é tipificado no artigo 302, parágrafo 1°, III, do Código de Transito Brasileiro.
Segundo a denúncia, Raimundo Louro retornava no dia10 de abril de 2016, por volta das 18h, em seu carro, uma Toyota Hi-Lux SW4 Placa LVF-4373, de um aniversário ocorrido na localidade Laranjeiras, na zona rural de Piracuruca, trafegando pela PI-110, quando colidiu na traseira da motocicleta Honda, modelo POP 100, conduzida por Lucas Araújo Magalhães, levando como carona Ana Karuline Cardoso de Lima e Gabriel Araújo Magalhães.
O impacto da colisão arremessou os ocupantes da motocicleta para fora da pista. Lucas e Gabriel tiveram leves escoriações, no entanto, Ana Kuruline, de apenas 15 anos de idade, teve morte imediata.
No momento do acidente, a motocicleta vinha com a luz traseira acesa, em baixa velocidade, tendo trafegado um tempo no acostamento, antes de ir para a pista de rolamento.
Raimundo Louro confessou durante interrogatório ter ingerido “03 (três) doses de Run Montila” e afirmou estar arrependido e abalado psicologicamente. O ex-prefeito sequer parou o carro, não prestando o devido e necessário socorro às vítimas.

A denúncia foi recebida pelo juiz Rogério de Oliveira Nunes, da Vara Única da Comarca de
Piracuruca em 10 de julho de 2017.
“Assim, presentes as condições da ação e havendo lastro probatório mínimo dos fatos narrados na inicial, recebo a denúncia oferecida contra Raimundo Vieira de Brito em todos os seus termos”, diz a decisão. A audiência de instrução e julgamento foi designada para o dia 14 de agosto de 2018, às 12hrs.
Caso seja condenado Raimundo Louro poderá pegar de dois a quatro anos de detenção e proibido de dirigir veículos de automotor.

Raimundo Louro falou que não foi culpado pelo acidente pois, segundo ele, o jovem que pilotava a moto entrou na PI 110 sem parar ou dar sinal. “Ele saiu de uma estrada carroçal e entrou na PI de uma vez, não tive como desviar ou parar o carro. Eu somente tentei frear e segurar o veículo, quando bateu na moto o carro já estava quase parando, porque se eu tivesse rápido, teria passado por cima da moto”, informou.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here