Prefeito Carlos Monte faz resumo das ações de 2017 em Barras. Muitos avanços!

Barras bateu o recorde histórico de construção de calçamentos. “Foram 30 mil metros na zona urbana. Isso nunca aconteceu antes", diz o prefeito.

Carlos Monte confere 'in loco' construção da estrada antes impossível de passar carro

O prefeito Carlos Monte fez um balanço do ano de 2017 em entrevista ao radialista Manoel Cordeiro.  Ele que encontrou uma prefeitura sucateada e com dívidas milionárias conseguiu concluir o ano no azul no que se refere ao pagamento de servidores.

“Foi preciso sangue no olho. Elegemos prioridades no sentido de fortalecer  a prestação de serviço à população. O Brasil passando por uma crise grave, acho que nos  saímos satisfatoriamente”, expõe o prefeito.

EXONERAÇÃO DE COMISSIONADOS – Ele falou sobre a exoneração de servidores no final de novembro que foi obrigado a fazer para atender recomendação do Tribunal de Contas do estado (TCE). “Muitas vezes é necessário tomar atitudes que são antipáticas. Faz parte das atribuições de um prefeito. É mais honesto dizer o que tem que ser dito do que dizer que vai fazer e não fazer. Já recebi nova recomendação do TCE, que acha que estamos gastando demais com pessoal. E olhe que eu não empreguei muita gente. As pessoas acham que a prefeitura tem o coação grande e que cabe todo mundo. Não adianta encher a prefeitura de comissionados e depois não poder pagar”, disse.

SANEAMENTO BÁSICO – O investimento em saneamento básico –  coleta de lixo, abastecimento de água e esgotamento sanitário – foi um dos grande destaques da atual gestão em 2017.

“Conseguimos resolver um problema histórico, que era o do lixo. Temos o local apropriado para destinar, coletado de forma apropriada, destinado de forma apropriada. Um verdadeiro avanço nesta política em Barras. Também estamos tirando a água suja das ruas. Nós estamosconstruindo 9 mil quilômetros de esgoto. São mais de 20% neste primeiro momento. Coisa nunca antes feita. Isso tem um impacto positivo muito grande no social e na saúde. Locais onde o esgoto ficava empoçado, já não fica mais. Tinham as fossas as fossas do hospital, a lama do mercado, que hoje são problemas do passado” sublinhou Carlos Monte.

Sobre o abastecimento de água, o prefeito destacou que está batalhando pela duplicação da Estação de Tratamento (ETA). O que está faltando, segundo ele, é liberar a burocracia do  licenciamento ambiental. “Mas enquanto a duplicação não é feita, nós não estamos parados. Estamos trabalhando com o Plano B. Fazendo intervenções de abastecimentos mais localizadas. Já fizemos no bairro  Santinho, São Cristóvao. Vamos fazer do  Exu agora e fazendo a manutenção de toda a cidade de acordo com a necessidade, trocando bombas ou outros equipamentos que forem necessários”, completou.

TRÂNSITO – O prefeito Carlos Monte foi o único que teve a ousadia de tentar melhorar o problema do trânsito. E está só no início. “Já fizemos a sinalização de placas, a próxima é a horizontal, de chão. Depois é a vez dos semáforos e, por último, a educação para o trânsito para que as pessoas se acostumem e aprendam a respeitar as leis de trânsito”.

CALÇAMENTOS E ESTRADAS – No primeiro ano de governo, conforme avalia o prefeito, Barras bateu o recorde histórico de construção de calçamentos.  “Foram  30 mil metros na zona urbana. Isso nunca aconteceu antes. Calçamos a Vila Padre Mário,   a Vila França, o bairro São Cristóvão, Pequizeiro, a Rua da Salsa, a Vila João Paulo, a Taumaturgo de Azevedo. Nunca tinha acontecido desta forma!”

As estradas da zona rural foram outro avanço na primeira gestão do prefeito. As comunidades Sossego, Solidão, Esperança, Lagoa dos Carrias, Fazenda Luz, Três Caminhos, São Luís. São João são exemplos de localidades que tiveram estrada construída ou recuperada. “A estrada do Santo Antônio e a do São João são localidade que nunca tiveram estradas. A geste sabe que o acesso á saúde e cidadania passa pelas estradas”, completou o prefeito.

SAÚDE – “Melhoramos a Saúde, a baixa e média complexidade, a regulação. Estamos tirando dos cofres da prefeitura para comprar remédios. Barras recebe R$ 21 mil de dinheiro para comprar remédios e gasta cerca de R$ 70 a 80 mil, quatro vezes mais, porque a gente saber da necessidade da população. Infelizmente a gente vai sempre encontrar pessoas que não encontram remédio. O município precisaria gastar R$ 500 mil para poder suprir a necessidade”, diz o prefeito Carlos Monte.

EDUCAÇÃO – Na Educação, 2017 foi o ano das medalhas. “isso graças à eficiência e determinação dos profissionais da Educação, que atendem um público desde os dois anos até o ensino médio, também as famílias dos alunos que participam da educação”

SOCIAL – O prefeito ressalta que a parte social evoluiu bastante, “tanto que a própria oposição elogia. Tenho uma secretária determinada e tenho dado condições para que ela faça isso”, fala lembrando que o fato de serem casados permite que os dois debatam mais sobre os problemas sociais. “Em casa a gente discute muito sobre a assistência social. Para a Ana não falta disposição. Ela se doa para a população. Faz seu trabalho de um lado e eu faço por outro. Nem almoçado juntos temos mais”, diz sorrindo.

O prefeito encerra lembrado que gostaria de ter avançado muito mais. “Mas fizemos muito dentro das nossas. 2017 foi um ano difícil para muito e eu espero que todos os barrenses tenham um ano novo muito melhor do que o que passou”, finaliza Carlos Monte.

DEIXE UMA RESPOSTA