Robert Brown explica a necessidade de se criar o Marathaoan Futebol Clube

O secretário municipal de Esporte e Lazer  de Barras, Robert Brown, explicou ao longah.com o porquê da criação de um novo time em detrimento do Barras Futebol Clube, que já tem história na cidade. Ele explica que há dois motivos fortes. o primeiro: o elevado valor das dívidas que o Bafo contraiu durante os anos e a necessidade de se ter de forma urgente um time que possa participar de campeonatos de futebol amador, já que a intenção do prefeito Carlos Monte quando criou a secretaria é justamente trabalhar o social através do esporte.

“O Barras Futebol Clube ele está inviável por conta das dívidas. Só na Federação de Futebol do Piauí, o valor chega a R$ 43 mil. Além disso, o Bafo deve três taxas anuais na Confederação Brasileira de Futebol (CBF) e ainda deve mais ao Tribunal de Justiça Esportivo. Claro que a primeira ideia era tentar utilizar o nome do Barras, por conta da sua história, mas não houve como ter essa dívida dispensada. Quem vai pagar essas contas? É uma dívida muito grande e a prefeitura não tem como arcar porque também está em situação difícil, pagando dívidas imensas ainda da gestão passada, como todos sabem. A folha de pagamento, as obras e serviços são colocadas como prioritárias”, destacou o secretário.

Brown explica que algumas pessoas estão confundindo, acreditando que o Marathaoan veio para trabalhar o futebol profissional. “O objetivo da administração do prefeito Carlos Monte é promover a inclusão social através do esporte, trabalhando com categorias de base, com o esporte amador. É um projeto para atender o social”, disse.

O secretário acrescenta ainda que, ao contrário do que estão achando, o time feminino não é profissional e descreveu a economia que o município está tendo, filiando o Marathaoan. “Não existe taxa para filiar time amador na FFP-Pi. É bom que fique bem claro: com o Bafo, teríamos que pagar a dívida. Com o Marathaoan, o custo é zero. É ingenuidade as pessoas quererem confundir futebol amador com futebol profissional.

Sobre o Martahaoan Futebol Clube, Robert Brown frisa que: “ainda não tem cores e escudo definido, nem mesmo estatuto, estamos no momento trabalhando em cima disso e logo que tivermos tudo ajustado, apresentaremos a imprensa em entrevista coletiva. O certo é que o novo clube barrense não terá as mesmas cores das agremiações profissionais já existentes no futebol piauiense, pois o Marathaoan F. C. chegará para ser um diferencial, com uma diretoria composta de cidadãos envolvidos com o futebol, sem política partidária e com o objetivo apenas de trabalhar o futebol e usá-lo também através das categorias de base para inclusão social”.

DEIXE UMA RESPOSTA