O secretário Estadual de Educação, Ellen Gera, confirma que pelo menos 155 escolas da rede pública de ensino deverão retornar com as aulas presenciais até o final do mês de outubro. A partir desta terça-feira (20), as escolas que tiveram os planos pedagógicos de prevenção ao novo coronavírus aprovados poderão iniciar as atividades presenciais. 

O retorno às salas de aula será permitido aos estudantes da 3ª série do Ensino Médio e VII etapa da Educação de Jovens e Adultos (EJA) matriculados na rede estadual de ensino. 

“Mais de 200 planos de escolas já estão sendo analisados pela equipe pedagógica da Seduc e a previsão é que 155 escolas da rede estadual retornem ainda esse mês. O retorno não será uniforme, já que as escolas têm realidades diferentes e algumas precisam de um pouco mais de tempo para adaptar espaços e adquirir EPIs (Equipamentos de Proteção Individual). A previsão é que tenhamos estudantes voltando para o chão de 71 escolas até o final desta semana”, diz Ellen Gera.

O secretário ressalta que a abertura das escolas acontecerá de maneira gradativa em respeito as medidas sanitárias de prevenção ao novo coronavírus. 

“Nossa prioridade é garantir a segurança de todos e, por isso, vamos trabalhar com o modelo hibrido, com poucos estudantes em sala de aula e apenas naquelas escolas que tiverem condições de cumprir os protocolos,  respeitando sempre o distanciamento, usando máscara, fazendo higienização das mãos e dos espaços e apenas nos municípios onde  a epidemia estiver controlada e decrescente”. 

Aulas remotas

A Secretaria Estadual de Educação (Seduc) destaca que a “retomada não é obrigatória aos alunos e professores, que continuaram tendo à sua disposição as aulas remotas. Para receber os estudantes, cada escola elaborou um plano de retorno, que foi enviado para a Seduc e deve ser cadastrado na Plataforma do PRO Piauí (propiaui.pi.gov.br)”.

Adaptações

O secretário Ellen Gera explica que os gestores e funcionários das escolas passaram por capacitação para receber os alunos em segurança.  Além disso, recurso no valor de R$ 4 milhões foi distribuído entre as escolas para adaptações e compra de Equipamentos de Proteção Individual (EPIs).

“Fizemos um repasse no valor de R$ 4 milhões para que as unidades sinalizassem os ambientes escolares e comprassem materiais de higiene necessários, como álcool em gel, sabonetes, máscaras, equipamentos para uso de álcool em gel e adequação de alguns espaços: instalação de pias na entrada e adequação de banheiros”, informa o secretário.

São Raimundo Nonato

Nesta primeira etapa, a Seduc também informou nesta segunda (19) que as escolas da região de São Raimundo Nonato não irão retornar com as aulas presenciais devido o aumento de casos da Covid-19. A Justiça Eleitoral suspendeu a campanha eleitoral em nove cidades da região. Além disso, o governo do Estado anunciou que 100% das vagas de UTIs (unidade de tratamento intensivo) do hospital regional, que atende os municípios, estão ocupadas. 


Orientações Gerais 

protocolo publicado no Diário Oficial do Estado, no dia 21 de setembro de 2020, sobre as recomendações higienicossanitátias específico para a Educação orienta, dentre outras medidas:

1. A instituição deve escalonar os horários de entrada e saída dos alunos e professores, de acordo com o ano/turma, para evitar aglomeração.

2. Isolar bebedouros de bico injetor. Cada trabalhador e aluno deve ter sua garrafa individual. Disponibilizar copos descartáveis ao lado do bebedor para uso de pais/responsáveis e visitantes. Deve-se higienizar as mãos com álcool gel a 70% antes e após uso do bebedor.

3. Disponibilizar dispensadores/totens de álcool gel a 70% em suas entradas e pontos estratégicos.

4. Evitar aglomerações e garantir o distanciamento de 2 (dois) metros entre os trabalhadores, alunos, pais/responsáveis e visitantes com marcações no chão/piso por toda área da instituição, indicando fluxo e distanciamento que assegurem uma ocupação de 4 m² por pessoa.

5. Manter todos os ambientes com ventilação natural, com porta ou janela aberta para que haja circulação de ar. Evitar o uso de condicionadores de ar em ambiente fechado, e quando necessário, deve-se manter porta ou janela entreaberta.

6. Todos que adentrarem às instituições de ensino devem fazer uso obrigatório de máscaras de proteção facial (trabalhadores, alunos, pais/responsáveis e visitantes).

7. A lotação das salas de aula ficará limitada a 50% (cinquenta por cento) da capacidade ou a depender do espaço disponível, desde que o distanciamento mínimo entre as carteiras ocupadas por alunos seja de 2 metros.

8. Deve ser adotado o sistema de rodízio semanal entre alunos, de modo que, enquanto metade da turma está em sala de aula, a outra metade estará em casa realizando atividades de maneira remota. Na semana seguinte os grupos são invertidos.

9. Nesse momento pandêmico, recomenda-se a não realização de gincanas, formaturas, eventos escolares, festas culturais ou qualquer outro evento que gere aglomeração, até que o quadro epidemiológico esteja favorável.

10. Orientar os trabalhadores e alunos a permanecerem vigilantes quanto ao seu estado de saúde, observando a presença de sinais ou sintomas equivalentes aos da COVID-19, como síndromes gripais (coriza, tosse seca, dor de garganta), mialgia, diarreia, cefaleia, perda parcial ou total de olfato ou paladar. Caso se observe qualquer um desses sintomas o aluno ou trabalhador deve permanecer em quarentena (isolamento domiciliar) de no mínimo 7 (sete) dias, este prazo podendo ser estendido de acordo com avaliação médica.