As pessoas que serão vacinadas na primeira fase de imunização contra a Covid-19 serão monitoradas, segundo o Governo do Piauí. Além disso, especialistas estarão em alerta para detectar a presença da nova mutação do coronavírus, já detectada no Amazonas, no território piauiense.

As deliberações foram feitas após uma reunião do governador Wellington Dias (PT) e o Comitê de Operações Especiais (COE) nesta terça-feira (19). De acordo com o gestor, caso a pessoa apresente efeito colateral após receber a dose do imunizante, poderá ser atendida na rede pública de saúde ou, se preferir, por meio de uma consulta virtual.

“O Piauí instalou o seu observatório pós-vacina. É uma equipe técnica, que, na mesma forma que funcionou no modelo Monitora Covid, vai, diretamente, através da rede de saúde, a partir de onde a pessoa tomar a vacina, para garantir atendimento em caso de qualquer efeito colateral”, disse Dias.

O governador afirmou que outra alternativa é a telemedicina. “Haverá uma equipe de plantão, por meio do programa Monitora Covid, para que a pessoa possa tratar diretamente com a equipe médica a qualquer hora do dia ou da noite para o pós-vacina”, explicou.

Mutação do vírus

O acompanhamento da nova mutação do vírus no estado será importante, segundo o governador, para definir as ações a serem adotadas.

“Queremos estar integrados com um conjunto de cientistas do Brasil acompanhando a mutação do coronavírus e, é claro, a partir do conhecimento técnico, adotar as medidas adequadas”, declarou.

O objetivo, de acordo com o gestor, é que o estado esteja preparado para lidar com a situação, caso aconteça. “Espero que a gente não tenha nenhuma mutação que venha mudar os procedimentos de tratamento, de vacina e de exames, mas o Piauí quer estar na linha de frente acompanhando essa mutação”, pontuou.