Dois milhões de doses da vacina contra o coronavírus fabricadas na Índia e encomendadas pelo Brasil devem chegar nesta sexta-feira (22/1), no início da noite. Trata-se de um lote do imunizante da Universidade de Oxford e da Astrazeneca fabricadas naquele país.

A carga vinda da Índia será transportada em voo comercial da companhia Emirates ao Aeroporto Internacional de São Paulo, em Guarulhos, e seguirá em aeronave da Azul para o Aeroporto Internacional Tom Jobim/Galeão, no Rio de Janeiro. A partir de então, ficam sob responsabilidade da Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz).

O voo está programado para aterrissar no Aeroporto de Guarulhos às 18h, onde será recebido pelo ministros da Saúde, Eduardo Pazuello, das Relações Exteriores, Ernesto Araújo, e das Comunicações, Fábio Faria, além do embaixador da Índia no Brasil, Suresh Reddy.

Após os trâmites alfandegários, a carga segue em aeronave da empresa Azul ao Aeroporto do Galeão (RJ), com pouso previsto para às 22h. A presidente da Fiocruz, Nísia Trindade, e o ministro Eduardo Pazuello receberão as doses, que serão transportadas, com escolta da Polícia Federal (PF), ao depósito da Fiocruz.

Distribuição

A vacina já tem autorização para uso emergencial expedida pela Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa). O imunizante é produzido pelo Instituto Serum, da Índia, que foi atingido por um incêndio nessa quinta-feira (21/1). O governo local informou que a produção das vacinas não foi prejudicada. Cinco pessoas morreram no incêndio.

Ainda não há informações sobre quantas doses serão destinadas para cada estado ou para quando está previsto o início da imunização com a vacina de Oxford.

A Fiocruz calcula que, ao receber as doses, será necessário pelo menos um dia para analisá-las e rotulá-las antes de entregar as vacinas ao Ministério da Saúde, que é o responsável pela distribuição para todas as unidades federativas.

No Brasil, a campanha de imunização começou no último domingo (17/1), com a Coronavac. No dia seguinte, as vacinas foram distribuídas aos estados brasileiros.