O governador Wellington Dias (PT) , informou  durante live , na tarde de terça-feira (2), que marcou  para dia 7 de junho, um domingo ,  reunião com setores público e privado para marcar início da retomada das atividades econômicas, após quase três meses de isolamento social, em virtude da pandemia do coronavírus do Covid-19.

A expectativa é que a retomada gradual das atividades econômicas e sociais comece no dia seguinte, segunda-feira, dia 8 de junho, com segmentos que não promovem aglomerações em seus negócios.

Wellington Dias afirmou que os protocolos para a retomada das atividades econômicas e sociais ficarão abertos para a consulta pública até sexta-feira (5) e no sábado (6) será feito, com as sugestões e modificações  apresentadas na consulta pública ; e no domingo (7), prazo que termina o vigor de seu decreto de medidas restritivas e isolamento social para minimizar casos e mortes por Covid-19, será feito o diálogo com oa setores da economia público e privado, para a definição do início do relaxamento do isolamento social no Piauí.

Reprodução

“A discussão com os representantes de diversos setores é para abrir uma consulta pública e assim ajudar a melhorá-lo com sugestões e modificações, de modo que possamos ter um protocolo final, uma pactuação que possa atender a todos os setores da economia, trazendo um plano de segurança para os empregadores, trabalhadores e consumidores. O documento ficará em consulta pública até esta sexta-feira (5). No sábado (6), iremos fazer esse planejamento, para que, no dia 7, prazo que acaba o decreto, dialoguemos com os setores da economia público e privado”, explicou  o governador Wellington Dias, em sua live.

Os interessados na consulta pública e nos protocolos propostos pelo  Estado poderão visualizar o  documento e fazer suas contribuições através de formulário eletrônico que será disponibilizado nos portais do Governo do Estado.

O Governo do Estado lançou, nesta terça-feira (2), o Pacto pela Retomada Organizada (PRO Piauí) que tem como objetivo preparar o ambiente para a retomada segura das atividades econômicas.

O plano busca ranquear os setores que devem ser priorizados no momento em que a situação epidemiológica do estado esteja controlada, considerando os seis pilares propostos pela Organização Mundial de Saúde (OMS).

A proposta considera o retorno de forma gradual, segmentada e regionalizada como bases estratégicas.

Wellington Dias disse que o critério econômico possuiu menor peso para a tomada de decisão relativa a flexibilização e os setores de atividade foram classificados em alto, médio e baixo impacto. Dessa forma, as primeiras atividades a serem liberadas são as de alto impacto e assim por diante. Os setores que estão no grupo de alto impacto são as indústrias de transformação, construção, comércio, agricultura, pecuária, produção florestal, pesca e aquicultura.

Os de médio impacto são a administração pública, defesa e seguridade social; atividades administrativas e serviços complementares; educação; saúde humana e serviços sociais; atividades financeiras, de seguros e serviços relacionados; transporte, armazenagem e correio; alojamento e alimentação; atividades profissionais, científicas e técnicas; informação e comunicação; outras atividades de serviços; atividades imobiliárias; eletricidade e gás.

Os  de baixo impacto são os relativos a artes, cultura, esporte e recreação; indústrias extrativas; água, esgoto, atividades de gestão de resíduos e descontaminação; serviços domésticos; organismos internacionais e outras instituições extraterritoriais.

Wellington Dias informou que o próximo passo é o cruzamento das atividades econômicas com os protocolos do risco de saúde, a construção dos estágios de retomada das atividades e a finalização do Plano de Flexibilização, tendo como parâmetro os indicadores epidemiológicos e econômicos, obedecendo aos protocolos de risco de saúde relativo às atividades econômicas.

“Todas as ações e estratégias executadas permitiram termos o resultado que temos hoje e não atingirmos uma situação de colapso na nossa rede hospitalar. O objetivo desse trabalho é subsidiar o comitê técnico científico de saúde na tomada de decisão relativa à flexibilização das atividades econômicas”, afirmou o governador Wellington Dias.

O Governo do Estado do Piauí colocou em Consulta Pública a minuta do documento intitulado Protocolo Geral de Recomendações Higiênico-Sanitárias com Enfoque Ocupacional frente à Pandemia, com a finalidade de aprimorar o documento, por intermédio da coleta de contribuições da sociedade piauiense, subsidiando o governo neste processo de execução da retomada das suas atividades não essenciais.