Antonio, Jatobás do Piauí, Nossa Senhora de Nazaré e São João da Serra têm mais eleitores que habitantes.  Além dos quatros municípios ultrapassam os 100%, Juazeiro do Piauí Boa Hora chegam muito próximos da população total. Campo Maior, Buriti dos Montes, Castelo e Sigefredo Pacheco são os municípios que têm os menores percentuais habitante/eleitores.

Os dados foram levantados pelo Em Foco com base em números divulgados pelo Tribunal Superior Eleitoral (TSE) e a população dos municípios divulgada pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE).

No caso dos municípios que ultrapassam os 100% é como se toda a população do município, incluindo crianças, votassem e mesmo assim ainda teria que vir eleitores de fora. Que na pratica é isso que acontece. São municípios em que parte dos eleitores não mora em  município.

NÃO QUER DIZER FRAUDE ELEITORAL

Um técnico da justiça eleitoral de Campo Maior, ouvido pelo Em Foco, explica que a legislação eleitoral tem um elenco muito a grande de conceito de domicilio eleitoral e ele não coincide com residência.

“Um eleitor pode ter apenas vínculo afetivo com o município. Domicílio civil não se confunde com domicilio eleitoral. Muitas pessoas que são contadas [pelo IBGE] como de São Paulo, por exemplo, pode ser eleitor dessas cidades. Ele vem votar no município e retornam para seu domicilio civil” disse.

O Em Foco questionou se pode haver fraude nas transferências ou manutenção desses domicilio eleitorais, mesmo a pessoa não tendo nenhum vínculo com o município.

“A Justiça Eleitoral recebe o documento como prova de domicilio e não pode dizer que esse documento é falso. Se alguém não impugnar, fica valendo o documento apresentado. Pode ser que algumas pessoas criem documentos que não são legítimos, mas a realidade é que o domicilio eleitoral não pode ser confundido com comício civil” disse.