Um reunião com o senador Ciro Nogueira (PP) em Teresina encaminhou propostas a serem aprovadas pelo grupo do Progressistas em Barras. O encontro – que teve início nesta sexta-feira (16) e terminou neste sábado – foi necessário diante da perspectiva de não homologação da candidatura do ex-prefeito Manim Rego.

De acordo com José Luís Costa, irmão da vereadora Emília Costa, a reunião terminou. Ele disse que não poderia informar o resultado antes de falar com os correligionários em Barras. “Da reunião, foram retirados encaminhamentos que deverão ser aprovados pela maioria e até a amanhã, comunicaremos o resultado”, disse José Luís ao longah.

Entre os participantes da reunião estavam Manim Rego, Emília, José Luís. O agropecuarista Dalton Pompeu esteve ontem (sexta-feira), mas decidiu não participar hoje.

A população de Barras ficou curiosa pelo resulatdo desde a manhã deste sábado. As especulações no início da manhã é que Manim Rego se uniria ao candidato à reeleição Carlos Monte. Acontece que existe uma grupo dentro do partido que defende a candidatura própria, mesmo que o candidato não seja Manim. A informação que chega ao longah é que o próprio senador Ciro Nogueira, que hoje é adversário do governador Wellington Dias, prefere que a sigla saia sozinha, assim a sigla se fortalece em Barras para a eleição governamental.

Correligionário do PP, que pediu sigilo de fonte, informou que os cenários que estão na mesa são três:

  1. O PP sai com candidatura própria (Emília cabeça de chapa) para continuar a campanha e eleger dois vereadores (os que têm mais chances de eleição do grupo são Eufrásio Costa e Maurício Rego).
  2. Juntar-se à campanha do prefeito Carlos Monte mesmo que percam lideranças, já que o atual prefeito não é unanimidade.
  3. Juntar-se à campanha do candidato Edilson Capote – que assim como o cenário anterior – também não é unanimidade entre os correligionários do PP.

Os cenários elencados acima não foram confirmados por José Luís Costa, que preferiu fazer segredo. Contudo, analistas políticos que conhecem o contexto barrense afirmam que dos três tópicos o que mais segura a militância progressista é o primeiro: o PP sair com candidatura própria.

Convenção do PP em Barras